Ondrepsb
Ondrepsb 2
Ondrepsb 3

Florianópolis pede reconsideração ao Estado para manter testagem em assintomáticos

Por Administrador em 20/01/2022 às 16:54:46
Fotos: Leonardo Sousa/PMF

Fotos: Leonardo Sousa/PMF

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde, envia nesta quinta-feira, 20 de janeiro, ofício ao governo do estado com considerações para estratégia de testagem e distribuição de testes. A discussão foi originada após o governo estadual sugerir aos municípios que pessoas sem sintomas não fossem testadas contra Covid-19, com priorização de pacientes com sintomas. Em Florianópolis, apenas em 20 dias, mais de 3 mil casos de Covid-19 foram descobertos em pessoas sem sintomas.

Desde o dia 1º de janeiro, 12.071 pessoas sem sintomas foram testadas contra Covid-19. Destas, 3285 pessoas foram positivadas. O dado representa a porcentagem de 27%. Além desta reconsideração, a Capital recebe uma população flutuante no verão e tem atualmente o maior número de casos ativos, afinal além da vacinação, aposta em uma ampla estratégia de testagem, realizando cerca de 3 mil testes diários entre PCR e testes de antígeno.

A Prefeitura ressalta ainda a redistribuição de testes disponibilizados pelo Ministério da Saúde de forma equânime para municípios com perfil epidemiológico como o de Florianópolis (cidade turística com aumento populacional na temporada). Além da ampliação na compra de testes, considerando a responsabilidade no financiamento do SUS, para complementar as ações já feitas pelo Ministério da Saúde e municípios.

A administração municipal ressalta que desde o começo da pandemia vem adotando estratégias que posteriormente foram apontadas como positivas, baseadas na ciência e em fatos, como justifica-se a testagem de pessoas sem sintomas. A Prefeitura de Florianópolis, além de criar um canal 24h para atendimento com o Alô Saúde Floripa, foi a primeira cidade a recomendar o uso de máscaras, entre outras medidas que posteriormente foram comprovadamente eficazes.

"Por mais que os estudos demonstram que pessoas sintomáticas tem maior grau de transmissão em relação a quem não tem sintomas, na prática pode ser ao contrário. Pessoas com sintomas geralmente já se isolam automaticamente. Já quem não tem sintomas segue circulando normalmente, trabalhando, participando de encontros sociais, o que aumenta o risco de transmissibilidade. A prova disso é a quantidade de assintomáticos que detectamos nos últimos dias. Não fossem os testes, estariam circulando normalmente e agravando ainda mais o momento epidemiológico atual.", explicou o prefeito Gean Loureiro.





Comunicar erro
Orsitec

Comentários

Galego Bar e Restaurante